Buscar
  • Luiz Carlos Silva Junior

Vaca Sagrada nº 2: O Presidente Benson “suavizou” depois de se tornar Presidente da Igreja

Escrito originalmente por amálgama/Mormon Chronicle - Traduzido, revisado e adaptado por Luiz Carlos Jr.

O que é uma vaca sagrada? Minha definição é qualquer coisa que se acredite baseada apenas na tradição e tenha pouca ou nenhuma base em fatos reais. Essas crenças são mantidas tão fortemente que o “adorador” declara “blasfêmia!” para qualquer um que desafia tal crença.


No segundo texto sobre temas controversos, que chamo de Vacas Sagradas, dentro do que conhecemos ou não, muito foi falado a respeito daquele que foi o membro e líder de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias que mais envolveu-se na política, e principalmente na política conservadora, de direita. Sim o presidente Ezra T. Benson.


É creditado a ele ter desenvolvido uma forma radical de conservadorismo que incluiu sua crença e sua disseminação de várias teorias da conspiração. Foi atribuído esse desenvolvimento a três influências significativas na vida de Benson: sua missão humanitária na Europa em 1946, seus oito anos servindo na administração Eisenhower (o equivalente a ministro da agricultura no Brasil) e sua estreita afiliação (mas não como membro) da John Birch Society. Embora várias outras Autoridades Gerais fossem politicamente conservadoras, nenhuma era tanto ou tão franca quanto Ezra Taft Benson. De fato, sua cruzada contra o comunismo às vezes causou atritos dentro dos principais quóruns da Igreja e provavelmente resultou em sua designação para supervisionar a missão europeia da Igreja.


Foram várias as tentativas malsucedidas de outras Autoridades Gerais de amordaçar o Élder Benson, parte do fracasso era que o presidente McKay também era um conservador convicto e um anticomunista, tendo até proferido alguns discursos anticomunistas na conferência geral. Mas as opiniões de McKay não eram tão conservadoras/fortes quanto as de Benson, e ele não gostava de confrontos pessoais. Após a morte de McKay, a nova Primeira Presidência de Joseph Fielding Smith, Harold B. Lee e N. Eldon Tanner advertiram Benson “a não discutir em conferência geral a John Birch Society, socialismo, estado de bem-estar social, 'combinações secretas', 'Ladrões de Gadiânton' ou qualquer coisa que transmita uma conspiração do governo”.


Depois que Joseph Fielding Smith e, posteriormente, seu sucessor Harold B. Lee morreu inesperadamente, “Benson retomou seu partidarismo agressivo”. Spencer W. Kimball, que sucedeu Lee e que havia sido chamado ao apostolado ao mesmo tempo que Benson, tentou com vários graus de sucesso controlar Benson, que agora era o Presidente do Quórum dos Doze Apóstolos e o próximo na linha de sucessão a presidência. Finalmente, depois que Benson fez um discurso devocional particularmente controverso em 1980 na Universidade Brigham Young, Kimball pediu a “Benson que pedisse desculpas ao Quórum dos Doze, mas eles 'estavam insatisfeitos com a resposta'”, então Kimball “instruiu Benson a se desculpar novamente... em uma reunião conjunta de todas as autoridades gerais”. Aparentemente, Benson levou essa lição a sério. Ele nunca mais “falou exclusivamente em público sobre política ou comunismo”


Bem, é uma afirmação comum, na tentativa de desacreditar qualquer um de seus ensinamentos, que o Presidente Ezra Taft Benson “suavizou” seus ensinamentos contra a conspiração e em defesa da liberdade. Seus detratores afirmam que ele não ensinou essas coisas quando se tornou Presidente de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias e, portanto, ele deve ter mudado seus pontos de vista, tornando seus antigos pontos de vista nulos e sem efeito.


Essa ideia é uma que não só prevalece entre os membros mais estatistas da Igreja, mas também entre muitos que se consideram amantes da liberdade. Isso é difícil de entender. Das coisas que escreveu, e com base nas palestras que realmente deu, ele foi um defensor da liberdade e um guerreiro contra a conspiração até o fim.

Um dos primeiros livros que Ezra Taft Benson escreveu como Presidente da Igreja foi "The Constitution: A Heavenly Banner" (A Constituição: Uma Bandeira Celestial) - recentemente publicado e disponível na Amazon.com -. Ele contém algumas das defesas mais fortes do governo limitado e advertências contra os perigos do estatismo por qualquer líder moderno da Igreja, perfeitamente consistente com seus ensinamentos como apóstolo.

Nele, ele reitera o papel adequado do governo, a fonte de direitos, princípios de agência e compulsão, a divindade da Constituição, adverte sobre a erosão da liberdade e muito mais.


Em 1987, o Presidente Benson deu uma palestra na Conferência Geral intitulada “Our Divine Constitution" (Nossa Constituição Divina), na qual reitera muitos dos mesmos pontos, bem como outros nos termos mais fortes.

Em uma das sessões dedicatórias do Templo de Portland Oregon, ele advertiu os presentes sobre as Combinações Secretas.

Em seu livro “A Witness and a Warning” - (Uma testemunha e um aviso) - disponível na Amazon.com - , o Presidente Benson deu advertências muito fortes sobre as combinações secretas modernas.


“Testifico que a América é uma terra de eleição. (Ver 2 Néfi 1:5) Deus suscitou os pais fundadores dos Estados Unidos da América e estabeleceu a Constituição inspirada. (Ver D&C 101:77–80) Esse era o prólogo necessário para a restauração do evangelho. (Ver 3 Néfi 21:4) A América será uma terra abençoada para os justos para sempre e é a base a partir da qual Deus continuará a dirigir as operações mundiais de Seu reino nos últimos dias. (Ver 2 Néfi 1:7) (…) Testifico que a iniquidade está se expandindo rapidamente em todos os segmentos de nossa sociedade. (Ver D&C 1:14–16 ; D&C 84:49–53) É mais altamente organizado, mais habilmente disfarçado e mais poderosamente promovido do que nunca. Combinações secretas que desejam poder, ganho e glória estão florescendo. Uma combinação secreta que busca derrubar a liberdade de todas as terras, nações e países está aumentando sua influência maligna e controle sobre a América e o mundo inteiro. (Ver Éter 8:18–25)” ( Fonte: “ Eu Testifico ”, Conferência Geral, outubro de 1988)


Até o final de seu ministério pessoal, o Presidente Ezra Taft Benson testemunhou nobre e corajosamente sobre a Liberdade e as ameaças a ela, sustentando tudo isso com fortes fundamentos bíblicos.

6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo