Buscar
  • Luiz Carlos Silva Junior

Vaca Sagrada # 9: Separação da Igreja e do Estado

Escrito originalmente por amálgama/Mormon Chronicle - Traduzido, revisado e adaptado por Luiz Carlos Jr.

O que é uma vaca sagrada? Minha definição é qualquer coisa que se acredite baseada apenas na tradição tenha pouca ou nenhuma base em fatos reais. Essas crenças são mantidas tão fortemente que o adorador declara “blasfêmia!” para qualquer um que desafia tal crença.


O mito da separação entre Igreja e Estado prevalece há mais de 60 anos. Por isso, nunca me surpreendo ao ouvi-lo referenciado por sábios comunistas-socialistas ignorantes, com lavagem cerebral, no setor público; mas ainda fico chocado cada vez que ouço um membro da Igreja SUD referir-se a essa falsa doutrina como um decreto autoritário que proíbe toda discussão política na igreja ou mesmo entre os membros.


A separação entre igreja e estado não existe! É uma realidade impossível! Também é moralmente errado ensinar, promover ou aplicar qualquer tipo de política pública. Deixe-me explicar por quê.

Jesus Cristo é o Deus Altíssimo. Não há outros deuses, principados ou poderes acima da Divindade que Ele representa. Não importa como a Santíssima Trindade seja definida, todos os cristãos que creem na Bíblia devem concordar com isso.


Então, como tantos cristãos autoproclamados podem continuar afirmando a separação entre igreja e estado – quando eles professam fé em um Deus que afirma Sua autoridade como o Deus Altíssimo – se eles acreditam que o estado é intocável pela igreja? O estado é superior à igreja de Cristo? As políticas estaduais e nacionais existem em um vácuo onde as leis de Deus não se aplicam mais? Esse parece ser o caso de acordo com esses indivíduos.


Dentro da igreja de Cristo temos dois sacerdócios . Na Grande e Abominável Igreja do Diabo também temos dois sacerdócios: Priestcraft* é o Sacerdócio Menor e Statecraft** é o Sacerdócio Superior. Aqueles que promovem a separação entre igreja e estado claramente endossam e adoram o Sacerdócio Superior dentro da Igreja do Diabo.


Ou a lei de Deus alcança e toca todos os aspectos do governo ou não. Se não, então Jesus Cristo é um deus menor, o que Ele definitivamente não é!


Leia sua Bíblia! Quantas vezes os profetas antigos se intrometeram na política? Quantos indivíduos, cidades e nações foram destruídos ao rejeitar essas advertências proféticas que certamente interferiram em cada processo político respectivo? Deus muitas vezes demonstrou irrefutavelmente Seu interesse e autoridade na política e no governo!


A propósito, ainda estou tentando encontrar a frase “separação entre igreja e estado” na Constituição dos Estados Unidos ou em uma de suas emendas. Algumas pessoas me chamaram de idiota , então, se você puder encontrá-lo para mim, por favor me ajude e aponte para mim.



Você percebe que toda ditadura na história, que não foi uma teocracia, insistiu na separação entre Igreja e Estado?

Hitler, Lenin e muitas outras personalidades exaltaram essa falsa doutrina como indispensável em um bom governo. Essas fabulosas personalidades extra vilãs da história certamente parecem ter quase inumeráveis ​​contrapartes modernas, tanto dentro quanto fora da igreja. Pessoalmente, prefiro ficar do lado dos profetas de Deus, como Ezra Taft Benson , David O. McKay e Joseph Smith , que claramente ensinaram uma doutrina oposta.


Os membros da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias devem ter grande interesse em defender as leis que são constitucionais e que estejam em acordo com os mandamentos e ensinamentos do Senhor, qualquer coisa que seja mais ou menos que isso é proveniente do mal.


Parece-me que é difícil separar visões políticas de visões religiosas, ou pelo menos nossas visões políticas deveriam estar em completa harmonia com os princípios do Evangelho.


Satanás sempre tentou exercer sua influência sobre os governos terrenos para restringir nosso livre arbítrio. A guerra que começou no céu continua hoje nesta terra, ainda é uma guerra contra a livre arbítrio.


Acreditamos que os governos foram instituídos por Deus para o benefício do homem; e que ele considera os homens responsáveis ​​por seus atos em relação a eles, tanto ao fazer leis quanto administrá-las, para o bem e a segurança da sociedade.



* Política sacerdotal ou sistema de gestão baseado em interesse temporal ou material; as artes praticadas por sacerdotes egoístas e ambiciosos para ganhar riqueza e poder, ou para impor a credulidade dos outros. Quando os líderes "fazem comércio" das almas dos homens (2Pe 2:3), transformam a religião em um negócio, e seguem-se o orgulho, o materialismo e o domínio injusto.


** a arte de conduzir assuntos de Estado

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo