Não seja enganado.

Ezra Taft Benson. Be Not Deceived. Conferência Geral, outubro de 1963. Traduzido e adaptado por Luiz Carlos Jr.

Humildemente e com gratidão me aproximo de vocês hoje. Humilde na incrível tarefa de falar com vocês - grato pelo evangelho e um profeta à nossa frente. Concordo com este grande discurso sobre o homem e o arbítrio dado pelo porta-voz do Senhor. O Presidente McKay descerá na eternidade como um dos grandes campeões dos homens livres.


Anos atrás, meu bisavô, enquanto pesquisador, assistiu a uma reunião mórmon durante a qual um membro teve uma discussão sobre a mesa do sacramento com o presidente do ramo. Quando o culto terminou, a Sra. Benson voltou-se para Ezra T. e perguntou-lhe o que ele achava dos mórmons agora. Sempre serei grato por sua resposta. Ele disse que achava que as ações de seus membros em nada alteravam a verdade do mormonismo. Essa convicção o salvou de muitas tragédias. Antes de filiar-se à Igreja, meu avô foi movido por uma oração maravilhosa do apóstolo John E. Page.


Mais tarde, porém, o jovem convertido ficou muito chocado com o mesmo homem cujas ações refletiam sua apostasia gradual.


Ironicamente, quando o Élder Page foi excomungado, Brigham Young escolheu o jovem converso para ocupar o lugar do Élder Page no Quórum dos Doze.


Seis dos Doze Apóstolos originais selecionados por Joseph Smith foram excomungados. As Três Testemunhas do Livro de Mórmon deixaram a Igreja. Três dos Conselheiros de Joseph Smith caíram - um até ajudou a planejar sua morte.


Uma pergunta natural que poderia surgir seria: se o Senhor sabia de antemão que esses homens cairiam, como sem dúvida o fizeram, por que seu Profeta os chamou para um cargo tão elevado? A resposta é; para cumprir os propósitos do Senhor. Pois até o Mestre seguiu a vontade e a vontade do Pai ao selecionar Judas. O presidente

George Q. Cannon também sugere uma explicação quando afirma:


“Talvez seja Seu próprio desígnio que as falhas e fraquezas apareçam em lugares elevados, a fim de que Seus santos aprendam a confiar Nele e não em qualquer homem”. (Millennial Star 53: 658-659. 15 de fevereiro de 1891.)


E isso seria um paralelo ao aviso de Leí; "...não coloque sua confiança no braço da carne..., ...maldito é aquele que confia no homem, ou seja, que faz da carne o seu braço.” (2 Néfi 4:34)


“A Igreja”, disse o Presidente McKay, “é pouco ou nada prejudicada pela perseguição e calúnias de inimigos ignorantes, mal informados ou maliciosos”. (The Instructor, fevereiro de 1956, p. 33.)


É de dentro da Igreja que vem o maior obstáculo. E assim, ao que parece, tem sido. Agora surge a pergunta: permaneceremos com o reino e podemos evitar ser enganados? Certamente esta é uma pergunta importante, pois o Senhor disse que nos últimos dias o diabo “se enfurecerá no coração de. . . homens ”(2 Néfi 28:20) e, se fosse possível, ele“ enganaria os próprios eleitos ”. (Ver Joseph Smith 1: 5-37.)


“O adversário”, disse Brigham Young, “apresenta seus princípios e argumentos no estilo mais aprovado e no tom mais vitorioso, acompanhado das atitudes mais graciosas; e ele é muito cuidadoso em agradar os poderosos e influentes da humanidade, unindo-se aos partidos populares, chegando a cargos de confiança e emolumento ao agradar o sentimento popular, embora isso devesse prejudicar seriamente e oprimir os inocentes. Esses personagens assumem as maneiras de um anjo, parecendo o mais próximo possível de anjos de luz, para enganar os inocentes e incautos. O bem que eles fazem, eles fazem para levar a efeito um propósito maligno sobre os bons e honestos seguidores de Jesus Cristo. ” (JD 11, 238-239.)


Aqueles de nós que pensam “. . . tudo está bem em Sião. . . ” (2 Néfi 28:21) apesar da advertência do Livro de Mórmon, pode ponderar as palavras de Heber C. Kimball quando disse: “Sim, achamos que estamos seguros aqui nas câmaras destas colinas eternas. . . mas quero dizer-vos, meus irmãos, que chegará o tempo em que nos misturaremos nestes vales agora pacíficos a tal ponto que será difícil distinguir o rosto de um santo do rosto de um inimigo contra o povo de Deus. Então é a hora de procurar a grande peneira, pois haverá um grande momento de peneiração e muitos cairão. Pois eu digo a vocês que há um teste, um Teste, um TESTE vindo. ” (Heber C. Kimball, 1856. Citado por J. Golden Kimball, Conference Report, outubro de 1930, pp. 59-60.)


Um dos maiores discursos que já ouvi ou li sobre como evitar ser enganado foi proferido neste púlpito durante a sessão do sacerdócio da conferência semestral de outubro de 1960, pelo Élder Marion G. Romney. (Ibid., Outubro de 1960 , 73-75.) Recomendo-o por seu estudo atento e desejo que houvesse tempo para relê-lo. Durante a palestra, o Élder Romney afirmou que não havia garantia de que o diabo não enganará muitos homens que possuem o sacerdócio. Então, após referir-se a um discurso do Presidente McKay sobre o livre arbítrio, o Élder Romney declara: “. . . O arbítrio é o princípio contra o qual Satanás travou sua guerra no céu. Ainda é a frente na qual ele faz seus ataques mais furiosos, tortuosos e persistentes. Que esse seria o caso foi prefigurado pelo Senhor. . . . ”


E então, depois de citar a escritura da Pérola de Grande Valor a respeito da guerra no céu pelo livre arbítrio (Moisés 4: 1-4) O Élder Romney continua:

“Veja, na época em que ele foi expulso do céu, seu objetivo era (e ainda é) 'enganar e cegar os homens e levá-los cativos à sua vontade'. Isso ele efetivamente faz a todos os que não dão ouvidos à voz de Deus. Seu principal ataque ainda é sobre o livre arbítrio. Quando ele consegue fazer com que os homens cedam ao arbítrio, ele os tem a caminho do cativeiro.

Nós, que possuímos o sacerdócio, devemos ter cuidado com relação a nós mesmos, para não cair nas armadilhas que ele arma para roubar nossa liberdade. Devemos ter cuidado para não sermos levados a aceitar ou apoiar de qualquer forma qualquer organização, causa ou medida que, em seu efeito mais remoto, colocaria em risco o livre arbítrio, seja na política, governo, religião, emprego, educação ou qualquer outro campo. Não basta sermos sinceros naquilo que apoiamos. Devemos estar certos! ”


O Élder Romney então delineou alguns testes para distinguir o verdadeiro do falso. Agora, isso é crucial para nós sabermos, pois como o Presidente [John] Taylor disse: “Além da pregação do Evangelho, temos outra missão, a saber, a perpetuação do livre arbítrio do homem e a manutenção da liberdade, e os direitos do homem. ” (JD 23, 63.)


Foi a luta pelo arbítrio que nos dividiu antes de virmos para cá; pode muito bem ser a luta pelo mesmo princípio que nos enganará e nos dividirá novamente.

Gostaria de sugerir três pequenos testes para evitar ser enganado, ambos relativos a esta luta pela liberdade e todos os outros assuntos.


1. O que as obras-padrão têm a dizer sobre isso? “À lei e ao testemunho: se não falarem segundo esta palavra, é porque não há luz neles”, disse Isaías. (Isa. 8:20) Essa é uma das grandes verdades de Isaías tão importante que foi incluída nas escrituras do Livro de Mórmon. Lá está escrito: “À lei e ao testemunho; e se eles não falarem segundo esta palavra, é porque não há neles luz.” (2 Néfi 18:20) E Oséias disse: “Meu povo foi destruído por falta de conhecimento... ” (Oséias 4: 6.)


Devemos estudar diligentemente as escrituras. De especial importância para nós são o Livro de Mórmon e Doutrina e Convênios. Joseph Smith disse: “. . . que o Livro de Mórmon era o mais correto de todos os livros da terra e a pedra angular de nossa religião, e que um homem se aproximaria mais de Deus obedecendo a seus preceitos do que qualquer outro livro ”. (DHC 4, 461.)


O Livro de Mórmon, disse Brigham Young, foi escrito nas tábuas de seu coração e sem dúvida ajudou a salvá-lo de ser enganado. O Livro de Mórmon tem muito a dizer sobre a liberdade da América e combinações secretas.


Doutrina e Convênios é importante porque contém as revelações que ajudaram a lançar o alicerce dessa grande obra dos últimos dias. Fala de muitas coisas. A seção 134, versículo 2, afirma que o governo deve manter invioláveis ​​os direitos e o controle da propriedade. Isso é uma leitura importante em uma época em que os controles do governo estão aumentando e as pessoas estão perdendo o direito de controlar sua própria propriedade.


2. O segundo guia é: o que os Presidentes da Igreja dos últimos dias têm a dizer sobre o assunto - especialmente o presidente vivo? O Presidente Wilford Woodruff relatou um caso na história da igreja em que Brigham Young estava falando a uma congregação na presença do Profeta Joseph Smith:


“O irmão Brigham assumiu o púlpito, pegou a Bíblia e colocou-a de lado; ele pegou o Livro de Mórmon e deixou-o de lado: e pegou o Livro de Doutrina e Convênios e colocou-o diante de si e disse: `Esta é a palavra escrita de Deus para nós, a respeito da obra de Deus, quase do começo do mundo aos nossos dias.' Continua ele 'E agora, quando comparados com os oráculos vivos, aqueles livros não são nada para mim; esses livros não transmitem a palavra de Deus diretamente a nós agora, como fazem as palavras de um profeta ou de um homem portador do Santo Sacerdócio em nossos dias e geração. Prefiro ter os oráculos vivos do que toda a escrita dos livros. 'Esse foi o caminho que ele seguiu. Quando ele terminou, o irmão Joseph disse à congregação: `O irmão Brigham disse-lhes a palavra do Senhor e a verdade'. . . . ” (Relatório da Conferência, , Outubro de 1897, pp. 18-19.)


Há apenas um homem na terra hoje que fala pela Igreja. (Ver D&C 132:7, 21:4.) Esse homem é o Presidente David O. McKay. Porque ele dá a palavra do Senhor para nós hoje, suas palavras têm uma importância ainda mais imediata do que as dos profetas mortos. Ao falar sob a influência do Espírito Santo, suas palavras são escrituras. (Ver D&C 68:4.) Elogio sua leitura do discurso magistral do Presidente J. Reuben Clark Jr., no Church News de 31 de julho de 1954, intitulado: “Quando as palavras do líder da Igreja têm o direito de reivindicar as escrituras?”


O presidente pode falar sobre qualquer assunto que considere necessário para os santos. Como Brigham Young declarou: “Desafio qualquer homem na Terra a apontar o caminho que um profeta de Deus deve trilhar ou apontar seu dever e até onde ele deve ir para ditar as coisas materiais ou espirituais. As coisas temporais e espirituais estão inseparavelmente conectadas, e sempre estarão.” (JD 10, 364) Outros oficiais do reino caíram, mas nunca os Presidentes. Ficar de olho no capitão ainda é um bom conselho. As palavras de um profeta vivo devem e sempre terão precedência.


O Presidente McKay disse muito sobre nossas tendências trágicas em relação ao socialismo e ao comunismo e as responsabilidades que os amantes da liberdade têm na defesa e preservação de nossa Constituição. (Ver Conference Report, abril de 1953, pp. 112-113.) Será que lemos essas palavras do porta-voz de Deus e refletimos sobre elas?


3. O terceiro e último teste é o Espírito Santo - o teste do Espírito. Por esse Espírito nós podemos “. . . saber a verdade de todas as coisas.” (Morôni 10: 5.) Esse teste só pode ser totalmente eficaz se o canal de comunicação de uma pessoa com Deus for limpo, virtuoso e livre de pecados. Disse Brigham Young:


“Você pode saber se está sendo conduzido certo ou errado, assim como sabe o caminho de casa; pois cada princípio que Deus revelou carrega suas próprias convicções de sua verdade para a mente humana,. . .


“Que pena seria se fôssemos conduzidos por um homem à destruição total! Você tem medo disso? Tenho mais medo de que esse povo tenha tanta confiança em seus líderes que não se pergunte a Deus se é liderado por Ele. Tenho medo de que eles se acomodem em um estado de auto segurança cega, confiando seu destino eterno nas mãos de seus líderes com uma confiança irresponsável que por si mesma frustraria os propósitos de Deus em sua salvação e enfraqueceria a influência que eles poderiam dar seus líderes sabiam por si mesmos, pelas revelações de Jesus, que eram guiados no caminho certo. Que todo homem e mulher saibam, pelo sussurro do Espírito de Deus para si mesmos, se seus líderes estão trilhando o caminho que o Senhor dita ou não. Esta tem sido minha exortação continuamente.” (JD 9, 149-150.)


O Élder Heber C. Kimball declarou: “Chegará o tempo em que nenhum homem ou mulher será capaz de perseverar com luz emprestada”. (Orson F. Whitney, Life of Heber C. Kimball, edição de 1888 461.)


Como então podemos saber se um homem está falando pelo espírito? A Bíblia, o Livro de Mórmon e Doutrina e Convênios nos dão a chave. (Ver D&C 50: 17-23; 100: 5-8; 2 Néfi 33: 1; 1 Cor. 2: 10-11.) O Presidente Clark os resumiu bem quando disse:

“Podemos saber quando os oradores são movidos pelo Espírito Santo somente quando nós mesmos somos movidos pelo Espírito Santo. De certa forma, isso transfere completamente a responsabilidade deles para nós, de determinar quando eles falam. . . a Igreja saberá, pelo testemunho do Espírito Santo no corpo dos membros, se os irmãos, ao expressar seus pontos de vista, são movidos pelo Espírito Santo; e no devido tempo esse conhecimento se manifestará. ” (Church News, 31 de julho de 1954.)


Esse Espírito será necessário para verificar ações em outras situações? Sim, e poderia ser usado como um guia e protetor para os fiéis em uma situação descrita pelo Élder Lee na última sessão geral do sacerdócio da Igreja quando ele disse:


“Na história da Igreja, houve momentos ou casos em que os Conselheiros na Primeira Presidência e outras pessoas em posição elevada procuraram anular a decisão ou persuadir o Presidente do contrário ao seu julgamento inspirado, e sempre, se você ler atentamente o história da Igreja, tais oposições trouxeram não apenas resultados desastrosos para aqueles que resistiram à decisão do presidente, mas quase sempre tais persuasões temporárias foram chamadas de volta para reconsideração, ou uma reversão de ação precipitada não de acordo com os sentimentos, os sentimentos inspirados , do Presidente da Igreja. E isso, creio eu, é uma das coisas fundamentais que nunca devemos perder de vista na edificação do reino de Deus. ” (Relatório da Conferência, abril de 1963, p. 81.)


Estes, então, são os três testes: As obras-padrão funciona; as palavras inspiradas dos Presidentes da Igreja, especialmente dos Presidentes vivos; e os sussurros do Espírito Santo.


Agora, irmãos e irmãs, nesta grande luta pelo arbítrio, pensem que poder para o bem poderíamos ser neste mundo se estivéssemos unidos. Lembre-se de como o Presidente Clark costumava reiterar na reunião geral do sacerdócio da Igreja que não havia nada de justo neste mundo que não poderíamos realizar se apenas estivéssemos unidos.


E o Presidente McKay reiterou isso repetidamente ao declarar: “Além de ser um na adoração a Deus, não há nada neste mundo em que esta Igreja deva ser mais unida do que conservando e defendendo a Constituição dos Estados Unidos!


“Que o apelo de nosso Senhor em Sua oração de intercessão pela unidade seja realizado em nosso lar, nossa ala, nossa estaca e em nosso apoio aos princípios básicos de nossa República”, disse o Presidente McKay. (The Instructor, fevereiro de 1956. p. 34.)


A isso eu digo amém e amém.


O Presidente McKay fala de uma unidade de princípios. O presidente Clark disse:


Deus providenciou para que, nesta terra de liberdade, nossa lealdade política não seja dirigida a indivíduos, isto é, a funcionários do governo, não importa quão grandes ou pequenos sejam. Sob Seu plano, nossa lealdade e a única lealdade que devemos como cidadãos ou habitantes dos Estados Unidos, vai para a nossa Constituição inspirada que o próprio Deus estabeleceu. Assim é executado o juramento de posse daqueles que participam do governo. Devemos uma certa lealdade ao cargo que um homem ocupa, mas mesmo aqui não devemos, apenas em razão de nossa cidadania, nenhuma lealdade para com o próprio homem. Em outros países, é ao indivíduo que existe lealdade. Este princípio de fidelidade à Constituição é fundamental para a nossa liberdade. É um dos grandes princípios que distinguem esta 'terra da liberdade' de outros países.


Assim, Deus acrescentou Suas bênçãos inestimáveis ​​para nós.


Desejo dizer com toda a seriedade que possuo que quando vocês, jovens e donzelas, virem qualquer restrição dessas liberdades que mencionei, quando virem o governo invadindo qualquer um desses domínios de liberdade que temos sob nossa Constituição, vocês saberão que eles estão colocando algemas em sua liberdade, e essa tirania está se aproximando de você, não importa quem restringe essas liberdades ou quem invade esses reinos, e não importa qual seja a razão e desculpa, portanto, pode ser." (The Improvement Era, 43, [julho de 1940] 444.)


Todos nós deveríamos saber agora o que o Presidente McKay disse sobre a maior responsabilidade dos povos amantes da liberdade. Nós o ouvimos falar de nossa tendência para o socialismo e o comunismo. Sabemos de seus sentimentos em relação às recentes decisões trágicas da Suprema Corte. Conhecemos a posição da Igreja de apoio às leis de direito ao trabalho e a oposição da Igreja aos programas de ajuda federal à educação. O Presidente McKay nos disse essas e muitas outras coisas que envolvem a grande luta contra a escravidão do Estado e o anticristo. Agora, visto que todas essas advertências vieram através do único porta-voz do Senhor na terra hoje, há uma pergunta importante que devemos nos fazer. Supondo que estejamos vivendo uma vida para que possamos saber, o que o Espírito Santo tem a dizer sobre isso?


Temos a obrigação de responder a esta pergunta. Deus nos responsabilizará.

Não sejamos enganados nos dias de peneira que virão. Vamos nos unir por princípio em apoio ao profeta, guiados pelos sussurros do Espírito.


Devemos continuar a falar pela liberdade e contra o socialismo e o comunismo, como o Presidente McKay sempre nos advertiu. Devemos continuar a ajudar os patriotas, os programas e organizações que estão tentando salvar nossa Constituição por todos os meios legais e morais possíveis.


Deus não nos deixou em trevas com relação a esses assuntos. Temos as escrituras antigas e modernas. Temos um profeta vivo e podemos obter o Espírito.

Joseph Smith viu o Pai e o Filho. O reino estabelecido por meio da instrumentalidade do Profeta prosseguirá.


Podemos seguir em frente com isso.


Que todos possamos fazer isso e não sejamos enganados, é minha humilde oração. Em nome de Jesus Cristo. Um homem.

5 visualizações0 comentário