Comunismo: Uma Declaração da Posição de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias

por David O. Mckay - traduzido e adaptado por Luiz Carlos Jr.
Uma declaração do Presidente David O. McKay a respeito da posição de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias sobre o Comunismo . Uma digitalização do documento original impresso por Deseret Book.

Para que não haja mal-entendidos por parte dos bispos, presidentes de estaca e outros em relação aos membros da Igreja que participam de reuniões fora da igreja para estudar e se informar sobre a Constituição (dos Estados Unidos), o comunismo, etc., desejo fazer as seguintes declarações que tenho enviado de meu escritório há algum tempo e que foram questionados por algumas autoridades da estaca, bispados e outros.


Os membros da igreja têm perfeita liberdade para agir de acordo com suas próprias consciências no que diz respeito à salvaguarda de nosso modo de vida . É claro que eles são incentivados a honrar os mais elevados padrões do evangelho e a trabalhar para preservar sua própria liberdade . Eles são livres para participar de reuniões não religiosas realizadas para alertar as pessoas sobre a ameaça do comunismo ou de qualquer outra teoria ou princípio que nos prive de nosso arbítrio ou das liberdades individuais garantidas pela Constituição dos Estados Unidos.


A Igreja, por respeito aos direitos de todos os seus membros de terem suas opiniões e lealdades políticas, deve manter a mais estrita neutralidade possível. Não temos a intenção de tentar interferir no exercício mais completo e livre da franquia política de nossos membros sob e dentro de nossa Constituição, que o Senhor declarou ter estabelecido “pelas mãos de homens sábios que [ele] levantou para este fim” (D&C 101: 80) e que, quanto aos seus princípios, o Profeta Joseph Smith, dedicando o Templo de Kirtland, orou para ser “estabelecido para sempre”. (D&C 109: 54.) A Igreja não renuncia a sua devoção ou convicção sobre a salvaguarda dos princípios americanos e dos estabelecimentos de governo de acordo com as constituições estaduais e federais e os direitos civis dos homens por eles salvaguardados.


A posição desta Igreja sobre o assunto do comunismo nunca mudou . Consideramos isso a maior ameaça satânica à paz, prosperidade e expansão da obra de Deus entre os homens que existe na face da terra.

A esse respeito, somos continuamente solicitados a dar nossa opinião a respeito de vários grupos ou indivíduos patrióticos que estão lutando contra o comunismo e defendendo a liberdade. Nossa preocupação imediata, entretanto, não é com partidos, grupos ou pessoas, mas com princípios.


Portanto, elogiamos e encorajamos todas as pessoas e todos os grupos que buscam sinceramente estudar os princípios constitucionais e despertar um povo adormecido e apático para as condições alarmantes que estão avançando rapidamente à nossa volta.

Desejamos que todos os nossos cidadãos em todo o(s) país(es) estivessem participando de algum tipo de autoeducação organizada, a fim de que pudessem avaliar melhor o que está acontecendo e saber o que podem fazer a respeito.


Apoiar o FBI, a polícia, os comitês do Congresso que investigam o comunismo e várias organizações que estão tentando despertar o povo por meios educacionais é uma política que endossamos calorosamente para todo o nosso povo.


Todo o conceito e filosofia do comunismo são diametralmente opostos a tudo o que a Igreja defende - a crença na Divindade, a crença na dignidade e na natureza eterna do homem e a aplicação do evangelho aos esforços pela paz no mundo. O comunismo é militantemente ateísta e está comprometido com a destruição da fé onde quer que ela se encontre.


O comissário russo da Educação escreveu:

“Devemos odiar os cristãos e o cristianismo. Mesmo os melhores deles devem ser considerados nossos piores inimigos. O amor cristão é um obstáculo ao desenvolvimento da revolução. Abaixo o amor ao próximo. O que queremos é ódio. Só então conquistaremos o universo.”

Por outro lado, o evangelho ensina a existência de Deus como nosso Pai Eterno e Celestial e declara: “... e só a ele servirás. " Mat. 4:10.


O comunismo avilta o indivíduo e o torna a ferramenta escravizada do estado, ao qual ele deve buscar sustento e religião. O comunismo destrói o livre arbítrio gratuito concedido por Deus ao homem.


Nenhum membro desta Igreja pode ser fiel à sua fé, nem pode qualquer americano ser leal à sua confiança, enquanto dá ajuda, incentivo ou simpatia a qualquer uma dessas falsas filosofias; pois se o fizer, eles serão armadilhas para seus pés.


Relacionado a isso em seu discurso na Conferência Geral de 1961, Ezra Taft Benson explicou que:

“Devemos sempre ter em mente que o socialismo coletivizado é parte da estratégia comunista. O comunismo é fundamentalmente socialismo. Jamais venceremos nossa luta contra o comunismo fazendo concessões ao socialismo. Comunismo e socialismo, estão intimamente relacionados, e devem ser derrotados por princípio.”


0 visualização0 comentário