Buscar
  • Luiz Carlos Silva Junior

5 princípios para ajudar aqueles que estão em crise de fé. (e como amenizar isso)

Texto original por Mormon Chronicle - Traduzido e adaptado por Luiz Carlos Jr

Muitos membros estão passando ou têm familiares passando pelo que está sendo chamado de “crise de fé”, que levou alguns deles a rejeitar a Igreja do Senhor e Seu Evangelho restaurado.


Há muitas razões por trás dessas crises de fé, desde o pecado levando à perda do espírito até a leitura de materiais contrários à sua fé, chegando até ao compartilhamento de “histórias” que não combinam com o que o indivíduo sentiu que foi ensinado na Igreja.


Seja qual for o motivo, existem algumas chaves para ajudar a restaurar (ou pelo menos alienar o mínimo possível) amigos e familiares à fé.


1. Não use linguagem que menospreze. Se você tivesse um amigo que nunca foi membro da Igreja, mas começou a investigar o Evangelho e ele tivesse uma pergunta sobre algo que leu na internet, não responderíamos a essa pessoa dizendo: “Você acredita que o Presidente Nelson é um Profeta ou não? Fique longe de ler coisas que lançam dúvidas.” Ou “Apenas leia o Livro de Mórmon e ore sobre isso, nada mais importa”. O investigador vai pensar que você não pode responder à pergunta e uma pessoa em crise de fé também. Quando um amigo ou membro da família tiver uma crise de fé, responda em um tom semelhante ao que você faria com um investigador.


2. Não tente fazer o Evangelho soar atraente para os valores do mundo ou mundanos. O Evangelho é peculiar e se destaca do mundo. Se aplicarmos os valores de “Babilônia” ao Evangelho, nossos amigos e familiares serão convertidos à Babilônia, não ao Evangelho.


3. Aplique princípios consistentes. Se dissermos que nossos amigos não podem depender de algo para ser verdade, certifique-se de explicar por que não é confiável e por que o que você deseja compartilhar é. Simplesmente dizer “Você não deve ir aos inimigos do Evangelho para aprender as coisas boas sobre ele” não é suficiente. Dizer coisas como “Não escute ninguém que está me acusando de X, apenas me escute”, você com certeza riria deles e provavelmente acharia sua história ainda mais suspeita do que antes.


4. Certifique-se de que as informações de desculpas que você compartilha são honestas. Nada é pior do que tentar ajudar alguém e as informações que você dá não são honestas. A pessoa que está lutando pensará que você é desonesto ou está tentando fazer uma “lavagem cerebral”. Para alguns exemplos, veja nossos textos da Vaca Sagrada.


5. Ao defender o Evangelho, certifique-se de evitar descartar os ensinamentos dos profetas do passado. Isso vai junto com princípios consistentes. Se você descarta os ensinamentos dos profetas do passado, por que os profetas atuais são mais confiáveis? Árvores ruins não dão bons frutos. Se vale a pena ouvir nossos líderes atuais, eles devem ter vindo de uma linha de líderes igualmente inspirados. Como Joseph Smith ensinou: “Se começarmos bem, é fácil dar certo o tempo todo; mas se começarmos errado, podemos errar, e será difícil acertar.” – Ensinamentos do Profeta Joseph Smith, pág. 343

Se pudermos seguir esses cinco passos, podemos não apenas salvar efetivamente aqueles em crise de fé, mas também construir um testemunho em nossos amigos e em nós mesmos que resistirá às tempestades que certamente virão.

2 visualizações0 comentário